Sexta, 23 de Fevereiro de 2024
22°C 30°C
Alagoinhas, BA
Publicidade

Cidadania digital é tema de discussão da 6ª Conferência Tecnologia e Infância

A importância da formação de uma cidadania digital que possibilite o uso seguro da internet por crianças e adolescentes foi discutido ontem, dia 5,...

06/12/2023 às 20h09
Por: Redação Fonte: MP - BA
Compartilhe:
Foto: Reprodução/MP - BA
Foto: Reprodução/MP - BA

A importância da formação de uma cidadania digital que possibilite o uso seguro da internet por crianças e adolescentes foi discutido ontem, dia 5, durante a ‘6ª Conferência Tecnologia e Infância – Cidadania online: Construindo conexões seguras’, que ocorreu na sede do Ministério Público estadual, em Nazaré. “Presenciamos no dia a dia os impactos na saúde das crianças e adolescentes, sobretudo num momento crucial como esse de tantas ameaças e enfrentamento de situações de violência. Precisamos de uma verdadeira mudança de paradigma de atuação, saindo do offline para o uso consciente e responsável da tecnologia, contribuindo para a ampliação da cidadania também online”, destacou a promotora de Justiça Ana Emanuela Rossi, coordenadora do Centro de Apoio Operacional da Criança e do Adolescente (Caoca). O evento foi realizado pelo MP, por meio do Caoca, em parceria com o Centro de Apoio Operacional da Educação (Ceduc), Cento de Apoio Operacional da Saúde (Cesau) e Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional (Ceaf), com o apoio da Safernet Brasil.

Foto: Reprodução/MP - BA
Foto: Reprodução/MP - BA
“A internet já faz parte da vida cotidiana. De acordo com a pesquisa TicKids Online de 2022, 95% das crianças e adolescentes de 9 a 17 anos usam a internet todos os dias e 86% tem perfil em rede social, como Instagram e Tik Tok. No entanto, os ‘nativos digitais’ não dominam todas as habilidades relacionadas à sua segurança na internet”, destacou Guilherme Alves, gerente de projetos na Safernet Brasil, que ministrou a palestra Cidadania Digital: Aprimorando ferramentas e conteúdos para superar desafios’. Ele ressaltou a importância da formação da cidadania digital e a necessidade das redes de proteção às crianças e adolescentes estarem mais preparados. “Os educadores ainda não se sentem preparados para ensinarem os alunos sobre cidadania digital”. Ele citou dados da pesquisa TIC Educação de 2021 e 2022, que revelaram a diminuição da formação continuada dos educadores sobre uso de tecnologia de 65% em 2021 para 56% em 2022. “Enquanto isso aumentou a demanda por suporte para estudantes, passando de 49% em 2021 para 61% em 2022, além do incremento das atividades realizadas no meio online, que passou de 75% em 2021 para 89% em 2022”.

De acordo com dados do site Denuncie.org.br, que traz os conteúdos criminosos mais removidos na internet, cerca de 30 mil páginas foram removidas em 2022. Dentre os três temas principais desses sites um total de 18.218 traziam conteúdos de abuso e exploração sexual infantojuvenil; 4.195 com conteúdos de misoginia (violência contras as mulheres); e 1.917 com apologia a crimes contra a vida. “Por isso a importância de eventos como esse, onde podemos discutir e compartilhar experiências com os professores e especialistas da área de saúde, por exemplo. Que possamos orientar as crianças e adolescentes sobre o uso da internet de forma adequada e segura”, afirmou a promotora de Justiça Patrícia Medrado, coordenadora do Cesau. Ela dividiu a mesa de abertura com os promotores de Justiça Alison da Silva Andrade, gerente do plano de ação de proteção de crianças e adolescentes no ambiente virtual; e Ana Emanuela Rossi.

Pela manhã o evento foi direcionado para o público adolescente e contou com a apresentação de um talk show da psicóloga Tainá Gomes, digital influencer de bem-estar nas redes sociais. Pela tarde a programação contou com as palestras do gerente de projetos na Safernet Brasil, Guilherme Alves;

Foto: Reprodução/MP - BA
Foto: Reprodução/MP - BA
e da pediatra e diretora do Instituto de Perinatologia da Bahia (Iperba), que falou sobre a ‘Tríade da Inatividade Pediátrica: Risco de Analfabetismo físico de crianças e adolescentes pelo uso excessivo de telas’. Ela destacou a importância da atividade física para a saúde de crianças e adolescentes para que não ocorra problemas de saúde como dinapenia pediátrica, condição caracterizada por baixos níveis de força e potências musculares, que não são causados por doenças neurológicas ou musculares, e analfabetismo físico, definido como a falta de confiança, competência e motivação para se envolver em atividades físicas significativas com interesse e entusiasmo. “De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), o ideal é evitar o acesso a televisão, tablet, celular e afins antes dos dois anos de idade. É papel da escola e da família, em conjunto, educar as crianças sobre este uso e identificar se ele está sendo proveitoso”, afirmou.

Projeto Cidadania Digital

Foto: Reprodução/MP - BA
Foto: Reprodução/MP - BA
O promotor de Justiça Alison da Silva Andrade apresentou o projeto ‘Cidadania Digital’, uma iniciativa do MP junto com a Safernet, desenvolvido esse ano de forma piloto no Município de Sobradinho. “O projeto foi pensado como uma forma de diminuir as violações dos direitos das crianças e dos adolescentes no ambiente digital. O objetivo é a inclusão da disciplina voltada ao estudo da cidadania no ambiente digital na grade curricular dos alunos”, destacou o promotor de Justiça. Além de um material extenso, elaborado de acordo com as normas da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), os professores contam com formação continuada ofertada de forma gratuita pela Safernet e um canal de dúvidas, onde os professores podem enviar perguntas e sugestões.

O projeto piloto contou com a participação de 12 escolas, 12 educadores e 744 estudantes. A disciplina possui 40 horas aulas, divididas em cinco módulos sobre os temas ‘Bem-estar e saúde emocional online’; ‘segurança e privacidade na internet’; ‘respeito e empatia nas redes’; ‘relacionamentos seguro online’; e ‘cidadania digital para todos e todas’. O projeto foi iniciado em dezembro de 2022 em Sobradinho e a nova estrutura curricular foi aprovada em 6 de fevereiro deste ano, colocando a disciplina ‘Cidadania digital’ como obrigatória no currículo dos estudantes.

Credito das fotos: Sérgio Figueiredo

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Lenium - Criar site de notícias